UEM FM apoia Femucic

Amanhã começa em Maringá a 36ª edição do Festival de Música Cidade Canção (Femucic) no Teatro Regional Calil Haddad, que acontece até domingo (25). As apresentações começam sempre as 20 horas e os ingressos estão disponíveis a partir das 19 horas, com entrada franca. Com a apresentação de músicos de 14 estados brasileiros e repertório de 52 canções, o festival terá representantes de todas as regiões do país. O Femucic é uma realização do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Prefeitura de Maringá e RPCTV.

O festival teve início em 1977, com o nome de Femusesc e no ano seguinte, os organizadores mudaram seu nome para Festival de Música Cidade Canção - Femucic. Planejado para ser um evento local de pequeno porte, com o passar dos tempos tomou proporções maiores, atraindo músicos, cantores e compositores de diversos estados brasileiros. 

Desde sua criação até 1991, período responsável pela formação do público amante do evento, o festival foi realizado no ginásio de esportes Chico Netto. Em 92, os organizadores levaram o Femucic para o Cine Teatro Plaza. Em 1993 o festival perdeu seu caráter competitivo e foi transformado em mostra. Mesmo com um número expressivo de participantes, os organizadores passaram a estimular ainda mais os músicos quando abriram espaço para canções sertanejas, rock, blues, samba e outros gêneros, e não apenas para MPB e instrumental. Em 97, o festival teve papel fundamental na popularização de um dos mais importantes espaços culturais de Maringá: o Teatro Calil Haddad. 
 
Em 1999, em sua 21ª edição, bateu recorde de toda sua história com 520 músicas inscritas. Desse total, a comissão organizadora selecionou 51 músicas, que foram distribuídas durante os três dias de festival. Foram apresentadas canções do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Bahia, Alagoas, Pernambuco, Sergipe, Tocantis, Ceará, Paraíba, Amazonas, Maranhão e outros. Essa repercussão com músicos e compositores dos mais diversos lugares do país mostra a expressividade do festival hoje, justificando o título carinhoso que a cidade recebe: Cidade Canção.