Programa Ponto & Contraponto promove debate sobre a PEC 241

Nesta sexta-feira, 21 de outubro, o programa Ponto & Contraponto da Rádio Universitária UEM FM, foi sobre Corte de gastos do governo federal - PEC 241.
Os convidados para o debate foram os professores Joilson Dias, do Departamento de Ciências Econômicas, e Mário Luiz Neves de Azevedo, do Departamento de Fundamentos da Educação.
A produção e mediação são do jornalista Paulino Júnior.
 
Confira o programa na íntegra:

UEM FM volta a veicular o programa Ponto & Contraponto

A Rádio UEM FM voltou a veicular o programa de debates Ponto & Contraponto, produzido e mediado pelo jornalista Paulino Junior.  A reestreia do programa foi na sexta-feira (7), às 11 horas, com os debatedores José Antonio Martins e José Carlos Barbieri. O tema para o debate foi Reforma do Ensino Médio.

Martins é professor de filosofia na UEM e Barbieri é professor, empresário na área do ensino e preside o Sinepe/NOPR – Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Noroeste do Paraná.
 
Confira o programa na íntegra:

UEM é rankeada com sucesso por duas instituições de credibilidade.

A Universidade Estadual de Maringá está entre a 36ª e a 40ª colocação no ranking das melhores universidades latino americanas e ocupa a posição 801+ no levantamento sobre as melhores universidades do mundo, divulgado, nesta quarta-feira (21). 

A informação é da revista The Times Higher Educacion, da Inglaterra, responsável pelo World University Ranking, que avalia as principais universidades mundiais e da América Latina, com base nas informações coletadas diretamente nas instituições e nas bases de dados das principais revistas científicas do mundo.
Para elaborar o ranking, a revista leva em consideração os indicadores ensino, internacionalização, investimento privado (dinheiro da iniciativa privada alocado na universidade por meio de convênios, por exemplo), pesquisa e citação.
Sobre o posicionamento na América Latina, o Word University Ranking relaciona cada universidade, individualmente, até a 35ª posição. Depois disso, as instituições pesquisadas são citadas por faixas de colocação, como a UEM, avaliada entre a 36ª e a 40ª colocação.
Quanto ao posicionamento mundial, o procedimento é o mesmo, porém com o detalhe do sinal "+". Ou seja, no parâmetro entre as melhores universidades do planeta, a UEM está acima da 801ª colocação. O que difere no rankeamento, nos dois casos, são as pontuações obtidas pela universidade em cada indicador avaliado.
Na América Latina, por exemplo, a UEM atingiu a pontuação 43.5 no quesito pesquisa (na faixa de 0 a 100), o melhor indicador. Em seguida, pela ordem, obteve 33.3 no investimento privado, 32.2 no ensino, 20.9 na internacionalização e 11.8 na citação.
Vale lembrar que, nesta edição do Word University Ranking, 980 universidades conseguiram pontuação suficiente para serem relacionadas no levantamento.
A Universidade de São Paulo (USP) foi a melhor instituição brasileira avaliada no mundo, ocupando a faixa de 251ª a 300ª, seguida pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), rankeada entre a 401ª e a 500ª colocação. Na América Latina, a USP está na primeira colocação.
No Paraná, entre as instituições estaduais de ensino superior públicas, a Universidade Estadual de Londrina aparece na mesma faixa de colocação da UEM como as melhores da América Latina.

 

Para comentar essa questão, Marcelo Henrique conversou com o vice-reitor da UEM, Julio Damasceno.

Entre outros argumentos, Damasceno disse que esses resultados são fruto de investimento.

 

Confira a entevista com o vice-reitor: