CINUEM apresenta Mostra "A mulher e a câmera"

O CINUEM está promovendo a Mostra “A mulher e a câmera”, dedicada a filmes brasileiros dirigidos por mulheres. De acordo com a ANCINE – Agência Nacional de Cinema – em 2016, apenas 20,3% dos filmes lançados no Brasil foram dirigidos por cineastas do sexo feminino, sendo em 2015, apenas 15%.

Nesta quarta-feira, dia 21, o filme a discutido será: 

Juízo (Maria Augusta Ramos, 2007, Documentário, 100min)
Local: Auditório do Bloco H-35 (CCH)

Juízo acompanha a trajetória de jovens com menos de 18 anos diante da lei. Meninas e meninos pobres entre o instante da prisão e do julgamento por roubo, tráfico, homicídio. Como a identificação de jovens infratores é vedada por lei, no filme eles são representados por jovens não-infratores, que vivem em condições sociais similares. Todos os demais personagens - juízes, promotores, defensores, agentes do DEGASE, familiares - são pessoas reais filmadas durante as audiências e visitas ao Instituto Padre Severino, local de reclusão dos menores infratores.

 

Campanha de arrecadação Mudi

A Associação de Amigos do Mudi - o Museu Dinâmico Interdisciplinar da UEM – divulga uma ação de financiamento coletivo, para arrecadar fundos. Quem falou por telefone sobre essa campanha com Marcelo Henrique Galdioli foi a professora Débora Santana:

 

Mestrado em Produção Sustentável e Saúde Animal

Programa de Mestrado em Produção Sustentável e Saúde Animal (PPS). As inscrições para aluno não regular podem ser feitas até 23 deste mês (junho).
O edital com horário das disciplinas para o 2º semestre deste ano (2017) está disponível em http://sites.uem.br/producao-sustentavel-saude-animal.

Combate ao Trabalho Infantil

A UEM desenvolve um projeto de extensão que, apoia e orienta ações em três municípios: Maringá, Sarandi e Paiçandu. As três cidades fazem parte do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil com atividades para manter o atendimento adequado das crianças e dos adolescentes e também às famílias, nos serviços sócio-assistenciais. Quem falou por telefone sobre esse projeto com a jornalista Liliana Mello foi a coordenadora do PETI e assistente social da UEM, Telma Maranho Gomes: