Combate às drogas

26 de junho é o Dia Internacional de Combate às Drogas. Uma das atividades aqui na UEM em relação à essa data será a divulgação dos trabalhos realizados nessa área no Ambulatório Médico, que funciona aqui no campus sede.

The Street Store busca por Voluntários

O The Street Store é uma loja de rua gratuita para quem precisa. Este ano, a ação ocorre no dia 22 de Julho e conta com a participação de voluntários para ajudar com: doações, serviços, patrocínio, estrutura e trabalhar no evento. Para trabalhar na Street Store, não serão necessários inscrição ou treinamento, basta comparecer no dia 22 de Julho portando um documento de identificação.

O evento acontecerá durante o dia todo na Praça Deputado Renato Celidônio - Praça da Prefeitura.

Para ser um colaborador ou mais informações: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Ciência na Praça

O evento será nos dias 30 deste mês e 1º de Julho, na travessa ao lado do Mercadão, aqui na zona 7. Estudantes e professores de pós-graduação da UEM vão mostrar à comunidade sobre a pesquisa desenvolvida na instituição e como a Universidade Estadual de Maringá beneficia a população. O Ciência na Praça é organizado pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação em parceria com a prefeitura municipal. Outras informações sobre o evento na página da UEM, na internet.

CINUEM apresenta Mostra "A mulher e a câmera"

O CINUEM está promovendo a Mostra “A mulher e a câmera”, dedicada a filmes brasileiros dirigidos por mulheres. De acordo com a ANCINE – Agência Nacional de Cinema – em 2016, apenas 20,3% dos filmes lançados no Brasil foram dirigidos por cineastas do sexo feminino, sendo em 2015, apenas 15%.

Nesta quarta-feira, dia 21, o filme a discutido será: 

Juízo (Maria Augusta Ramos, 2007, Documentário, 100min)
Local: Auditório do Bloco H-35 (CCH)

Juízo acompanha a trajetória de jovens com menos de 18 anos diante da lei. Meninas e meninos pobres entre o instante da prisão e do julgamento por roubo, tráfico, homicídio. Como a identificação de jovens infratores é vedada por lei, no filme eles são representados por jovens não-infratores, que vivem em condições sociais similares. Todos os demais personagens - juízes, promotores, defensores, agentes do DEGASE, familiares - são pessoas reais filmadas durante as audiências e visitas ao Instituto Padre Severino, local de reclusão dos menores infratores.